QUERO ESTAR NO BANQUETE COM JESUS

15 de março de 2019

Leitura - Marcos 2:13-22

 

Jesus continua a sua peregrinação pela palestina dominada por Roma, nesse contexto se encontra com o conhecido Mateus, aqui descrito por Levi, coletor de impostos. Essa era uma classe de pessoas tão desprezadas na época que se assemelhava as prostitutas e à ralé da sociedade. Apesar de serem judeus, eram como traidores por servirem ao dominador. Mas uma atitude levou Levi a uma nova posição na eternidade, a atitude da obediência e da prontidão. Nessa caminhada com Jesus já vimos o quanto essas são atitudes necessárias e que sem exceção nos colocam numa posição privilegiada de podermos vislumbrar a eternidade de podermos viver cheios de esperança, de termos acesso a um convívio diário com aquele que é o criador de todas as coisas.

Um dia eu me levantei e segui ao ouvir um chamado de Jesus, talvez você da mesma forma tenha vivido essa mesma experiência. Em meu caso sinceramente desejaria que tivesse sido mais cedo e com mais prontidão, assim teria tido a chance de, mais cedo, ter experimentado a vida em sua plenitude que é a vida com Deus. De uma forma ou de outra a atitude de ouvir e aceitar o chamado de Jesus é algo que nos transporta de um estado de extremas limitações e até mesmo prisões pessoais para o ilimitado mundo de Deus e todas as suas possibilidades.

Esse tipo de experiência não fica retida dentro de nós, não se limita jamais a algo que se classifique como foro íntimo. Pelo menos para Levi não parece ter sido assim, juntou seus amigos, gente do mesmo tipo dele provavelmente pois assim devia ser seu círculo de relacionamento devido ao seu contraditório ofício. Juntou-os em sua própria casa, provavelmente pelo encanto das palavras de Jesus que com certeza o encheu de gozo.

Essa atitude é exemplar para nossas vidas por se assemelhar em sua essência com o que vivenciamos até os dias de hoje. A ousadia de Levi foi chamar seus amigos para ouvir Jesus, mas isso levou Jesus a quebrar mais um dos tabus, derrubar mais uma muralha e vencer a arrogância dos “sábios”, mestres da lei, conhecidos como escribas e fariseus. Em nossas vidas esses são episódios que nos inspiram. As Palavras de Jesus são sempre inspiradoras, as atitudes daqueles que são tocados por Ele, são sempre exemplos.